quarta-feira, 14 de julho de 2010

Dor, no passado e de um passado, que ficou...


Texto escrito, num momento passado e difícil
Graças a Deus, ficou...
Graças a Deus, passou...

Roda... Tudo roda.
Como gigante, como sorvete e
como o mirante, que quer ver o mar.

Parece bobagem.
Parece esquisito, mas não sei como continuar. Não sei...

Me aprofundar... Não sei.
Não sei como fazer, sem machucar.
Sem te ferir ou me ferir.
Não sei, sem me cortar.
Desculpe, mas não sei como continuar, essa poesia,
sem com minha tranqüilidade, acabar.

Minha cabeça está tão pesada.
Meus limites estão sendo diminuídos.
Minhas histórias estão se acabando.

Falta combustível... Falta a loucura louca.
Agora, só me resta, a loucura outra.
A que todos dominam e controlam.
Minha camisa de força química que,
graças a Deus existe.

Que vida sofrida... Que vida doida.
As únicas coisas que valem à pena são:
As pessoas que amo, meus quadros e a Lua.

Eu quero mais de minha vida.
Quero a minha cabeça de volta.
E que funcione de maneira adequada.

A minha,
às vezes não funciona e outras vezes,
funciona de maneira, completamente desordenada.
Não para...
O que faço?
Continuo ou paro?
Pensei comigo... Estou aqui, chorando e não posso parar.
Afinal, Deus está comigo, me quer vivo e o infinito é
bem maior que tudo isso.
Rezei...

Todo crepúsculo é mágico...
Até que se procure a morte num nascer de Sol e
se consiga a vida, num morrer de Lua.

Um beijo grande,

Maü Cardoso.

7 comentários:

  1. Gostaria de verbalizar praticamente uma história aqui diante de tudo que li, pensei e senti... mas irei me calar.

    Simplemente agradeço!

    Rê Pinheiro

    ResponderExcluir
  2. Que lindo, Maurício!

    Uma vez li, que o Poeta vive as dores que escreve...não sei se em sonhos ou real..mas, vivem!
    Senti, muito de minha história, de minhas indagações, de meus ais...no suspiro sufocado de minha alma.
    A vida é uma constante roda, que ora passa, ora fica e quando fica, machuca, mas, como você mesmo disse: Graças a Deus existe!
    Costumo dizer que, quando nos curvamos perante Deus, na sincronia do pedir, pensar, agradecer é porque estamos íntimos e Ele fez sua morada dentro do nosso coração.
    "Todo crepúsculo é mágico...
    Até que se procure a morte num nascer de Sol e
    se consiga a vida, num morrer de Lua."
    Maravilhoso! Amei!
    Sua sensibilidade me encanta!
    Obrigada, por ser esta pessoa tão amada!

    Márcia

    ResponderExcluir
  3. Regiane...
    Respeito sua maneira de sentir.
    Respeito sua maneira por não se expressar.
    Só acho ruim, esse seu "não dizer", ou falar.
    Afinal, não precisa ser assim.
    Basta entender os limites do outro e respeitar.
    Um beijo,
    Maü Cardoso.

    ResponderExcluir
  4. Querida Márcia...
    Somos amor, somos paixão e somos doçura.
    Mas, também somos dor, medo e angústia. Somos, na verdade, seres feitos de todos os sentimentos. Uma composição frenética de sensações e forças. Graças a Deus...
    Por isso, tenho sim, algumas lembraças difíceis do passado. Aliás, que bom que ficaram no passado e em alguns momentos, na lembrança. Sinal de que passaram, mas tiveram a sua importância, em minha vida.
    Vez ou outra, esses textos mais pesadinhos, virão. Com certeza, virão...
    Que bom que veio me ver. Saudades...
    Um beijo grande,
    Maü Cardoso.

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Thiago Cardoso Sepriano:

    Perfeito é pouco !

    Tudo na medida certa, um poema que me levou á lugares desconhecidos. Lindo !

    Parabéns !

    ResponderExcluir
  7. Querido Thiago...
    Adorei sua visita e adorei ter podido levá-lo à lugares desconhecidos. Afinal, quando caminhamos por novos caminhos, nossos sentimentos são novos e a percepçao do mundo nos chegam como uma grande novidade.
    Surpresas, surpresas...
    Nada melhor do que novos passeios.
    Querido Thiago, venha sempre, viu.
    Um forte abraço,
    Maü Cardoso.

    ResponderExcluir